Rio Grande - Sexta-feira, 15/12/2017
:: 90 anos do Porto de Rio Grande
:: Artigo
:: Cartas
:: Colunas
:: Comunidade
:: Curtas
:: Economia
:: Editorial
:: Empreendedor
:: Especial
:: Esportes
:: Foto da Semana
:: Geral
:: Pier News
:: Rio Grande - 270 anos
:: Variedades

:: Min. 19º
:: Max. 25º
Câmbio Compra Venda
U$ com. - -
U$ par. - -
Indicador Valor
Poup. Dia -



Empreendedor 15/08/2005

Tecnologia de ponta na preparação do arroz


Estação de tratamento para qualidade da água

Empresa é a primeira do país projetada com a finalidade de produzir marcas próprias de arroz

Dia 8 de agosto a empresa Pampasul Alimentos Ltda completou três anos de existência. Surgiu em Arroio Grande mas começou mesmo a operar há pouco mais de 1 ano, em nosso município, na localidade do Povo Novo, beneficiando e empacotando arroz para 56 clientes do Norte, Nordeste e centro do país, alimentando mais de 110 marcas. Os clientes são, em sua maioria, atacadistas ou supermercadistas.
O investimento foi de R$ 10 milhões, numa área de 10 hectares (cerca de 4.500 m2 de área construída) no km 43 da BR-392. Já foram gerados 90 empregos, sendo 82 para moradores do próprio Povo Novo, treinados pela empresa para assumirem as vagas. Os cinco sócios-proprietários eram executivos de empresas do setor orizícola e essa é a primeira experiência como donos do próprio negócio. São eles Assis Henrique Machado Magalhães, Marcelo Sanchotene Vaucher, José Antonio Gallas, todos de municípios da Metade Sul do Estado, mais José Gonzaga Sobrinho, da Paraíba, e o uruguaio Juan Saldanha.
Prestação de serviço

Marcelo Sanchotene Vaucher explica que a Pampasul Alimentos não possui marca própria. “Somos uma indústria com foco específico em cima da prestação de serviços e temos alguns diferenciais. Existem algumas empresas que prestam serviço para o arroz parbolizado ou branco, mas não para os dois como fazemos. Nosso produto é de qualidade, com custo baixo e entrega rápida”, conta ele.
Convém salientar que a indústria foi concebida para atuar em Arroio Grande, mas acabou vindo para Rio Grande devido a proximidade com o porto (o arroz para o Norte e Nordeste segue via marítima), “uma questão logística fundamental hoje”; os benefícios concedidos pela Prefeitura, através do Investopem; e a proximidade com a região produtora de arroz. Dois grandes incentivadores foram o então prefeito Fábio Branco e o secretário municipal para Assuntos Extraordinários, Gilberto Pinho, originário daquela região do município.

Impacto na economia

A presença da Pampasul Alimentos tem proporcionado muitos benefícios à economia do Povo Novo. Além dos quase 90 empregos diretos tem se notado que o próprio comércio da localidade está crescendo.
Para a economia do município os benefícios também são expressivos, uma vez que mais de 90% do arroz produzido aqui era beneficiado em outras cidades, principalmente Pelotas. A Pampasul realiza esse trabalho e isso acaba aumentando a arrecadação municipal, principalmente no que diz respeito ao retorno do ICMS. “O produto produzido no município ganhou valor agregado”, observa Marcelo Vaucher.
Hoje a Pampasul tem capacidade instalada para produzir 120 mil fardos de arroz parbolizado e 60 mil fardos de arroz branco por mês. Os investidores estão satisfeitos. “O retorno é muito positivo com relação à receptividade de nossos clientes e para a safra que vem pretendemos quase dobrar a capacidade de armazenagem”, adianta Vaucher.

Perspectiva

Hoje o cenário do arroz não é dos melhores, mas isso não afeta os planos de expansão da empresa. “Quando montamos o projeto o cenário era bem melhor do que hoje. A situação da cadeia do arroz não é a ideal devido ao preço da matéria-prima, que está abaixo do custo de produção. Estando abaixo reflete diretamente em nós. O Brasil é auto-suficiente em arroz e continua importando, gerando aumento de estoque do produto. Duas coisas podem mexer no mercado: uma diminuição da área plantada ou um efeito climático que gere uma produção menor e valorize o produto. Mas entendo que a perspectiva do negócio é boa. O que vale são as marcas e os clientes que conquistamos. Nosso produto tem boa aceitação, é competitivo para o cliente e queremos nos aproximar mais dos produtores da região para atuarmos em parceria”, comenta o empresário.

Expansão

A Pampa Sul prioriza a produção do arroz parbolizado por ser uma exigência do mercado em que ela atua e também porque agrega mais valor. Além disso, os empresários observam que nos últimos 10 anos o parbolizado pulou de 4 para 20% do mercado de arroz. Ou seja, ainda tem muito para crescer. Por isso, Marcelo Vaucher já tem planos de expansão. “Temos a intenção de agregar mais uma linha de beneficiamento. Vai depender do mercado”, adianta ele, bastante otimista com o futuro da Pampasul Alimentos, uma empresa que está dando nova cara ao Povo Novo e que veio para ficar.



17/07/2007
- INFORME EMPRESARIAL

23/01/2006
- Analisando o setor da construção civil

17/01/2006
- Investindo pesado no esporte rio-grandino

09/01/2006
- Rumo às vendas do futuro

03/01/2006
- Sucesso no mercado de parafusos

26/12/2005
- Ele se considera um cidadão da Zona Sul

21/12/2005
- A concorrência é a maior aliada

12/12/2005
- O segredo da gastronomia é a qualidade

06/12/2005
- O sucesso nas vendas depende do trabalho duro

29/11/2005
- Novo conceito no ramo da construção civil

1  2  3  4  5  >   

     C o m e n t á r i o     

    I n d i c a r    N o t í c i a     

    I m p r i m i r
Participe do Jornal Bom Dia, que agora é diário, o que gostarias de ver mais em nosso jornal?
Classificados
Notícias de jovens (baladas, variedades, vestibular)
Notícias de desenvolvimento da cidade
Vou escrever um e-mail e mandar minha opinião
Câmara de Comércio
Câmara de Vereadores
Pesca Rio Grande
Porto do Rio Grande
Prefeitura Municipal
Rio Grande Virtual
Universidade do Rio Grande