Rio Grande - Terça-feira, 17/10/2017
:: 90 anos do Porto de Rio Grande
:: Artigo
:: Cartas
:: Colunas
:: Comunidade
:: Curtas
:: Economia
:: Editorial
:: Empreendedor
:: Especial
:: Esportes
:: Foto da Semana
:: Geral
:: Pier News
:: Rio Grande - 270 anos
:: Variedades

:: Min. º
:: Max. º
Câmbio Compra Venda
U$ com. - -
U$ par. - -
Indicador Valor
Poup. Dia -



Empreendedor 18/07/2005

OPÇÃO: Dirceu Farias (E) deixou a pesca para criar a Dani Lanches, uma das pizzarias mais freqüentadas da cidade

De pescador a comerciante

É possível instalar uma pizzaria em local distante da área central da cidade? Dirceu Farias imediatamente responderá que sim. Há cinco anos ele montou a Dani Lanches na rua 1º de Maio, no bairro Frederico Ernesto Buchholz. Como diz o nome, lá existe todo o tipo de lanche, mas o que faz a fama do estabelecimento são as 24 variedades de pizza e mais o formato brotinho, feitos em forno a lenha. “Dá mais trabalho, mas a qualidade é outra com esse tipo de forno”, justifica ele, que faz questão de dizer que a massa da pizza também é preparada por sua equipe.
Com 15 anos, Dirceu Farias começou a trabalhar como pescador, uma profissão que ele nunca se desligou. Começou pescando no Saco da Mangueira com um caíco. Depois comprou um bote e hoje tem uma embarcação maior, para quatro mil quilos. Também pescou no canal de acesso e até mesmo fora da Barra do Rio Grande, em pleno oceano. “Naquele tempo era uma fartura”, recorda, com saudades.
Por volta de 1982 foi que Dirceu entrou no ramo de comércio. Na verdade, essa atividade não havia lhe passado pela cabeça, mas acabou aceitando o convite do cunhado, Ailton Canez da Rocha, que possuía lancherias no Calçadão da rua General Bacelar. Dirceu trabalhou na lancheria Planetário, foi gerente do Ppoch Chopp (que acabou adquirindo mais tarde), do Gut-Gut, da Villa Francisca Cassino e Villa Francisca da cidade, que localizava-se no estacionamento do Big.
O comerciante diz que aprendeu muito com Ailton da Rocha, pois não tinha experiência em lidar com o público. “Aprendi no dia-a-dia e fazendo amizades”, conta ele.
Cinco anos atrás, como citamos acima, Dirceu resolveu abrir a lancheria e pizzaria em sua própria casa. Diz que iniciou num espaço pequeno, idêntico ao de uma garagem, e foi ampliando. O ambiente é aconchegante, as mesas e cadeiras são confortáveis e toda a família (esposa e filhos) trabalham juntos, de domingo a domingo, das 18h à 1h. Nos finais de semana o estabelecimento fica aberto até duas horas da manhã. Além da clientela que lá comparece diariamente, lotando as 20 mesas (formada principalmente por casais e famílias) existe muito pedido pela tele-entrega. Os clientes são do próprio Buchholz, dos Parque Marinha e São Pedro e do Centro da cidade. “Às vezes à 1h30min da madrugada tenho pedido até para o Jardim do Sol”, observa o empreendedor, que vende uma média de 150 pizzas por semana, além dos lanches. Para isso necessita de, ao menos, duas motos para fazer o atendimento externo.
Dirceu Farias admite que um ponto na área central da cidade pode ser melhor, “mas o que conta lá é o aluguel”. E mesmo com seu negócio sendo no bairro Frederico Ernesto Buchholz ele está satisfeito com o movimento. Atribui essa preferência do público à qualidade do que oferece. “Dobrando a esquina é possível encontrar xis a R$ 1,50, mas tem que manter a qualidade. Quem quer comer preço, come, mas quem quer qualidade...”.
O comerciante diz que não pode faltar nenhum item no cardápio. Também considera fundamentais “atendimento, ambiente saudável e limpeza. Tudo tem que estar dentro do padrão”.  O ramo de pizzas e lanches “é bom, desde que mantenha o padrão de qualidade e o horário. Não se pode fechar às 22h porque está frio. O horário de funcionamento tem de ser sempre o mesmo”.
Dirceu já pensa em ampliar a pizzaria. Com mais espaço, ele pretende fazer rodízio de pizzas. Mas também revela que já está passando o negócio para os filhos. E quando os filhos estiverem bem encaminhados, pretende voltar para a pesca, que ele ainda acha compensadora.



17/07/2007
- INFORME EMPRESARIAL

23/01/2006
- Analisando o setor da construção civil

17/01/2006
- Investindo pesado no esporte rio-grandino

09/01/2006
- Rumo às vendas do futuro

03/01/2006
- Sucesso no mercado de parafusos

26/12/2005
- Ele se considera um cidadão da Zona Sul

21/12/2005
- A concorrência é a maior aliada

12/12/2005
- O segredo da gastronomia é a qualidade

06/12/2005
- O sucesso nas vendas depende do trabalho duro

29/11/2005
- Novo conceito no ramo da construção civil

1  2  3  4  5  >   

     C o m e n t á r i o     

    I n d i c a r    N o t í c i a     

    I m p r i m i r
Participe do Jornal Bom Dia, que agora é diário, o que gostarias de ver mais em nosso jornal?
Classificados
Notícias de jovens (baladas, variedades, vestibular)
Notícias de desenvolvimento da cidade
Vou escrever um e-mail e mandar minha opinião
Câmara de Comércio
Câmara de Vereadores
Pesca Rio Grande
Porto do Rio Grande
Prefeitura Municipal
Rio Grande Virtual
Universidade do Rio Grande