Rio Grande - Sexta-feira, 15/12/2017
:: 90 anos do Porto de Rio Grande
:: Artigo
:: Cartas
:: Colunas
:: Comunidade
:: Curtas
:: Economia
:: Editorial
:: Empreendedor
:: Especial
:: Esportes
:: Foto da Semana
:: Geral
:: Pier News
:: Rio Grande - 270 anos
:: Variedades

:: Min. 19º
:: Max. 25º
Câmbio Compra Venda
U$ com. - -
U$ par. - -
Indicador Valor
Poup. Dia -



Empreendedor 14/12/2004

EM FAMÍLIA: as irmãs Carla e Patrícia estão à frente da Paraíso da Arte, uma das mais conceituadas fornecedoras de matéria-prima artesanal

Ajudando a impulsionar o artesanato local

Instalada no Centro de Rio Grande há pouco menos de oito meses, a Paraíso da Arte já conquistou uma legião de clientes ávidos pela matéria-prima ideal para concluírem suas peças artesanais. O sucesso dessa microempresa é fruto da visão privilegiada e da árdua dedicação das irmãs Patrícia Batista e Carla Rosane da Silva, que se viam como meras “curiosas no assunto”.
Nascidas em Pelotas e criadas em São José do Norte, cada uma resolveu, já na idade adulta, trilhar o seu caminho. Patrícia, após graduar-se em Engenharia Civil pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (Furg), começou a vida profissional em Porto Alegre. Mas logo casou-se e teve de se mudar para o Rio de Janeiro, fazendo companhia ao marido militar. “Fiquei um bom tempo sem trabalhar, até ele ser transferido para cá”, lembra, afirmando que já não suportava os seus horários ociosos. Enquanto isso, Carla seguiu morando em São José do Norte, onde se especializou no artesanato - mais particularmente no delicado biscuit, a popular ‘porcelana fria’. “Comprávamos o material pela Internet, pois era raro encontrá-lo por aqui. Mesmo em Pelotas, geralmente o reduto de muitos consumidores de Rio Grande e região, era difícil achar uma boa loja de artesanato”, afirma ela, que nesse meio-tempo também subiu ao altar.
Percebendo tal carência, as irmãs tiveram a idéia de montar uma loja voltada a esse ramo tão subestimado pelo comércio. Mesmo ressabiados, os maridos aceitaram financiar o novo negócio. O sucesso pegou a todos de surpresa: dezenas de artesãos passaram a freqüentar a loja diariamente, em busca dos mais variados artigos. “A verdade é que ninguém sabia aonde iríamos chegar. Hoje podemos dizer que deu tudo certo, mas jamais esperávamos tamanha repercussão”, comemora Patrícia.
As duas passaram a se dedicar à empresa de forma exclusiva, acreditando no seu potencial de lucro. Acompanhando os avanços do mercado, elas fazem cursos regulares de empreendedorismo e costumam participar de feiras com bastante freqüência, sempre em busca de novidades. A irmã caçula, Isabel, também envia material de sua cidade, Santa Vitória do Palmar.
Além de comercializarem a matéria-prima, Patrícia e Carla oferecem, em uma sala à parte da loja e em horário de expediente, minicursos de artesanato. Seis professores ensinam técnicas diversas, como pinturas em tela, madeira e tecido, textura em tela e a já famosa técnica em meia de seda.
Para o futuro, as empresárias planejam ampliar as instalações da loja. “O espaço já está ficando pequeno”, conclui Patrícia.



17/07/2007
- INFORME EMPRESARIAL

23/01/2006
- Analisando o setor da construção civil

17/01/2006
- Investindo pesado no esporte rio-grandino

09/01/2006
- Rumo às vendas do futuro

03/01/2006
- Sucesso no mercado de parafusos

26/12/2005
- Ele se considera um cidadão da Zona Sul

21/12/2005
- A concorrência é a maior aliada

12/12/2005
- O segredo da gastronomia é a qualidade

06/12/2005
- O sucesso nas vendas depende do trabalho duro

29/11/2005
- Novo conceito no ramo da construção civil

1  2  3  4  5  >   

     C o m e n t á r i o     

    I n d i c a r    N o t í c i a     

    I m p r i m i r
Participe do Jornal Bom Dia, que agora é diário, o que gostarias de ver mais em nosso jornal?
Classificados
Notícias de jovens (baladas, variedades, vestibular)
Notícias de desenvolvimento da cidade
Vou escrever um e-mail e mandar minha opinião
Câmara de Comércio
Câmara de Vereadores
Pesca Rio Grande
Porto do Rio Grande
Prefeitura Municipal
Rio Grande Virtual
Universidade do Rio Grande