Rio Grande - Sexta-feira, 20/09/2019
:: 90 anos do Porto de Rio Grande
:: Artigo
:: Cartas
:: Colunas
:: Comunidade
:: Curtas
:: Economia
:: Editorial
:: Empreendedor
:: Especial
:: Esportes
:: Foto da Semana
:: Geral
:: Pier News
:: Rio Grande - 270 anos
:: Variedades

:: Min. º
:: Max. º
Câmbio Compra Venda
U$ com. - -
U$ par. - -
Indicador Valor
Poup. Dia -



Editorial 20/06/2007
Meio Ambiente

Nos últimos dias, o planeta esteve comemorando a Semana do Meio Ambiente. O momento é de reflexão. A comemoração foi criada a partir do primeiro Encontro de Cúpula de Meio Ambiente, realizada pela ONU, em 1972, em Estocolmo. Nessa ocasião, pela primeira vez, os governos reconheceram formalmente a necessidade de tratar a poluição e outros impactos ambientais provocados pela mão do homem.
A luta pela preservação do meio ambiente é digna e tem que ser levada a sério pro governos de todo o mundo. Entretanto, a sério não significa tratar do assunto radicalmente. Mas é assim que a Fepam está tratando o assunto do zoneamento ambiental, com relação às plantações de pinus, eucalipto e acácias.
O interessante, é que não se vê tamanha pressão quanto às plantações de soja, arroz e áreas de pastagens ao longo do Estado. Somente depois que as empresas de celulose manifestaram interesse no plantio da silvicultura passou-se a discutir o assunto com tanta euforia.
O que os ambientalistas de plantão não podem esquecer é que o ser humano também faz parte do eco-sistema. Portanto, existe sim uma maneira de promover o desenvolvimento das sociedades, respeitando a preservação da natureza. Sempre que se fala em meio-ambiente fala-se na terceira pessoa, quando na verdade está se falando de todos e de cada um individualmente.
Na semana do meio ambiente, as atenções estavam voltadas para o plantio de árvores, culinária utilizando o calor do sol e divulgação de informações pessimistas em relação às calotas polares. Mas o homem anda sendo esquecido.
Quando se fala em meio-ambiente logo vem à cabeça uma floresta, um oceano ou uma montanha. O homem sempre de fora, como um mero espectador. Parece até que os especialistas no assunto acreditam que seria muito melhor a humanidade viver como no tempo das cavernas. Quando um dia era da caça e o outro do caçador.
Não se falam em superpopulação, desemprego, doenças contagiosas, sub-mundo do crime e outros males da sociedade na semana do meio ambiente. Não se discute a relação do homem com o planeta como um todo, apenas se quer que não derrube árvores.
A mensagem que se quer passar não é a do uso discriminado dos recursos naturais, e sim a do diálogo como forma de inter-relação entre as necessidades humanas e os órgãos de defesa do meio ambiente.
Na segunda-feira, 11, haverá um encontro em pelotas em que a Fepam apresentará sua proposta para o zoneamento e o que se espera é catastrófico para projetos que gerariam milhares de empregos e que pode ser perfeitamente colocado em prática respeitando a preservação natural.
Os próprios ambientalistas estão divididos quanto ao assunto, por isso a necessidade do comparecimento do maior número de pessoas nessa assembléia, para que assim seja feita a vontade da maioria.



04/07/2007
- EDITORIAL

30/06/2007
- Rio Grande de São Pedro

28/06/2007
- Segurança

26/06/2007
- A Estética do Frio

25/06/2007
- Editorial - Nova fase

19/06/2007
- Nasce um novo jornal

16/06/2007
- Impunidade

21/02/2007
- Uma edição desafiadora

17/01/2007
- Efeito Cicarelli

04/12/2006
- Caixa 3

1  2  3  4  5  >   

     C o m e n t á r i o     

    I n d i c a r    N o t í c i a     

    I m p r i m i r
Participe do Jornal Bom Dia, que agora é diário, o que gostarias de ver mais em nosso jornal?
Classificados
Notícias de jovens (baladas, variedades, vestibular)
Notícias de desenvolvimento da cidade
Vou escrever um e-mail e mandar minha opinião
Câmara de Comércio
Câmara de Vereadores
Pesca Rio Grande
Porto do Rio Grande
Prefeitura Municipal
Rio Grande Virtual
Universidade do Rio Grande